“Higesipo Brito” por Leila Brito (15 out. 2005 – oito anos post mortem)

Veja também:

4 Comentários

  1. Riva disse:

    Leila, obrigada por ser a interlocutora de nossos sentimentos. As palavras não devem ser apenas belas, mas devem traduzir verdades, sentimentos, tempo, emoções. E você sabe bem como trazer à tona, com palavras, toda esta torrente de vida, esta história fabulosa que vivemos, construída pedra a pedra, gota a gota de suor e lágrimas, risos e poesia, por estas duas excepcionais personagens da vida real: Higesipo Augusto e Maria da Conceição

  2. Leila Brito disse:

    Querida Riva…

    Bom saber que você está acompanhando passo a passo meus cuidadosos passos na edição das memórias do nosso Pai.

    A pausa para esta homenagem é uma flor do campo que deposito na morada eterna dos nossos pais.

    beijo com amor…

    Leila

  3. Clara Brito disse:

    É muita emoçao para o meu coraçao!
    Obrigada, Leila!!

  4. Leila Brito disse:

    Muita emoção, Clarinha!

    Nesta semana, dediquei-me com exclusividade a esse trabalho, lendo e relendo peças do processo (que estudei em profundidade), relembrando cada momento de dor e de luta até vê-lo libertado de um sofrimento que quase o levou de todos nós.
    Sim. O nosso Pai por pouco não foi vencido pela dor, embora o Pai dele não tenha resistido. Como isto doeu nele!… E como ele sofreu por isso!
    Difícil perdoar as pessoas que tanto mal lhe fizeram.
    Na verdade… Impossível perdoar.

    beijo…
    Leila

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



= 3 + 8