Tagged: machismo

AngelaDavis-db984cb2-b65b-42c5-84ef-a100d3892e45 0

Angela Davis, Racismo e Feminismo Negro

Discurso de Angela Davis no Dia da Mulher Negra Latina e Caribenha,
25.07.2017, na Universidade Federal da Bahia
ANGELA DAVIS
Eu não tenho nem condições de expressar a vocês o quanto estou emocionada por estar aqui nesta noite. Para mim, é assim que deveria ser a aparência da universidade. Quero agradecer à Ângela Figueiredo, ao Odara. Quero agradecer também ao NEIM pelo convite para homenagear o dia 25 de julho. Essa é minha quarta visita a Bahia e sexta ao Brasil.
Neste momento, me sinto extremamente envergonhada por ainda não ter aprendido português. Esse é o meu próximo projeto. Estou muito feliz por estar aqui celebrando com vocês o Dia da Mulher Negra Latina e Caribenha. Na Bahia, o Julho das Pretas. Estou muito entusiasmada por estar aqui no Brasil, especialmente porque tenho acompanhado os acontecimentos que vêm se desenvolvendo dentro do movimento das mulheres negras.
Ver mais…

imagem_30_8998 2

Machismo e homofobia sobrevivem no comunismo?

MACHISMO E HOMOFOBIA SOBREVIVEM NO COMUNISMO?
ERIK HAAGENSEN
É muito frequente o argumento que diz “sem se pautar pelas lutas feministas, anti-racistas, anti-homofóbicas etc., o comunismo reproduziria todos os vícios da subjetividade capitalista”.
E, como justificativa: “o machismo, o racismo, a homofobia etc. surgiram muito antes do capitalismo”.
Há algumas noções que subjazem essa argumentação e que merecem ser comentadas.

Michelangelo,_Fall_and_Expulsion_from_Garden_of_Eden_00 2

A Marginalização da Mulher pela Sexualidade

Jesus foi um amigo das mulheres, o primeiro e praticamente o último amigo que as mulheres tiveram na Igreja. Causava sensação porque ele se relacionava com mulheres, porque era rodeado por “muitas mulheres” (Lc 8,3), o que para um rabino e professor de leis judaicas era absolutamente inaceitável e sem precedentes para seu tempo. Sabemos que ele teve 12 discípulos homens, embora também muitas discípulas, inclusive senhoras de sociedade como Joana, mulher de um procurador de Herodes Antipas. Hoje essas mulheres seriam consideradas “liberadas”, por não aceitarem os papéis femininos tradicionais e, pelo contrário, financiarem Jesus e seu grupo “com suas posses” (Lc 8,3).

714526988_violencia 5

Nos Domínios do Machismo

NOS DOMÍNIOS DO MACHISMO LEILA BRITO Uma mulher não é um falo senão na medida em que está aprisionada ao homem; ela assume essa identidade na proporção da perversão masculina. Nessa medida, apenas as...