Rito post mortem

Veja também:

11 Comentários

  1. Clara Brito disse:

    Estou aqui em lágrimas. Edilson, nosso primo tão querido, tão amado pelos nossos pais, que cresceu, e como cresceu, tornando-se pai de família exemplar e cidadão de bem, com importante participação em ações sociais em prol de sua querida Itabirito.
    Lindo texto, Leila.
    Abraços,
    Clarinha.

  2. Leila Brito disse:

    Clarinha…

    Eis a danada da morte aprontando uma surpresa desagradável.
    Quem diria que o nosso encontro com Edilson no enterro da nossa Mãe era uma despedida. Nem o mais visionário dos mortais imaginaria isto.
    Lembro-me dele muiíssimo emocionado, por amar a nossa Mãe como se filho dela fosse.
    Compartilho a sua dor e tento mensurar o tanto que ela está a doer no peito da Milena, do Edimilson, da Adriene e da outra filha, ainda sangrando pela morte do Emiliano.
    Triste demais!
    beijo…

  3. Rodolfo Brito Moura disse:

    Tia Leila, você se superou; seja pela inspiração de um amigo/primo que se foi, ou pela competência inerente a sua pessoa, este texto/despedida tem que ser guardado em nossas memórias para sempre, como prova de que o amor pelo próximo nos inspira e renova nossas emoções.
    Parabéns !!!

    Rodolfo Brito Moura

  4. Leila Brito disse:

    Obrigada pelo carinho, Rodolfo.
    A tristeza é grande, mas realmente inspiradora.
    Mas na verdade, o que interferiu mais na criação foi a singularidade do personagem.
    Edilson era uma pessoa muito especial e inspiradora, sob todas os ângulos que se analisar seu comportamento.
    Uma grande perda, sem dúvida.
    Ele estava muito comovido no enterro de Mãe (a quem ele amava como um filho), e a gente jamais suspeitaria que aquela foi, na verdade, a despedida dele de todos nós.

    beijo,
    Tia Leila

  5. Cláudia Brito disse:

    Escrevestes com a alma, lindo texto. Com certeza foi um homem que marcou a história. Eu desde criança ouvi história deste primo que se destacou na família Brito.

    Beijos!!!

    Cláudia Brito

  6. Liziane Brito de Deus disse:

    Oi Leila, que lindas palavras. Me emocionei muito, principalmente quando li trechos que referem-se às travessuras de meu amado tio Edilson, contada também por meus tios e minha mãe Maria Rivalina (Lilica). Tenho orgulho de fazer parte de uma família tão bonita e de tanto amor. Como alguns personagens da Família Brito, você tem o dom de escrever. Abraço,

    Liziane Brito de Deus

  7. Leila Brito disse:

    Querida Cláudia…

    É gratificante ter a sua presença no Chá.com Letras, especialmente neste post gerado na saudade que a memória cuida de eternizar em realidade imortal.

    Abraço…

  8. Leila Brito disse:

    Doce Liziane…

    Que alegria ler seu comentário! Tê-la aqui no Chá.com Letras compartilhando o sentimento de amor fraternal que nos une nos momentos de dor.
    Uma surpresa muito feliz, acredite. Isto porque você me traz de volta gratas lembranças de sua mãe, com quem convivi na minha infância.
    Que bom que as novas gerações vão se desdobrando em vida, num ato de renovação da esperança e da alegria de viver.

    Abraço saudoso pra Lilica.
    Um beijo pra você.
    Leila

  9. Liziane Brito de Deus disse:

    Obrigada pelo carinho Leila. Pode deixar que darei o abraço em minha mãe. Ela conta muitas histórias vividas em Rio Acima, até me emociono. É um grande prazer pra mim participar deste site tão bonito e com belas palavras ditas por você. Grande Abraço e um abraço em todos aí.

    Liziane.

  10. Adriene Brito disse:

    Leila,
    fiquei super emocionada ao ler este texto.
    Meu pai deixou muitas histórias, quem teve a oportunidade de conhecê-lo sabe que ele era uma pessoa de coração bom, íntegro e um homem cheio de ideais. Quando voltar a Rio Acima, sempre vou lembrar dele e das diversas histórias que Tia Maria me contava. Quem não lembra dele mergulhando no rio com Britinho, e fingia que tinha morrido e Vovó Maria ficava desesperada; do episódio do muro e muitas outras histórias. Foi um pai maravilhoso, e só faltava dar aos seus filhos o coração dele. Nos ensinou a vencer os obstáculos. Pra mim, meu pai será sempre meu Herói!!! Tenho muito orgulho de ser filha deste grande homem, e ainda mais de ser Brito.
    Tenho certeza que um dia vamos nos encontrar novamente. Hoje ele está ao lado de seu filho Emiliano e estará olhando por todos nós.
    Muito obrigada pelo carinho, amor e amizade!!!
    E agora vejo que a Familia Brito tem o dom de escrever, pois meu pai herdou esse dom de expressar os sentimentos em belas e maravilhosas poesias.
    Adriene

  11. Leila Brito disse:

    Adriene…

    Inequivocadamente, o seu Herói é IMORTAL.

    beijo,
    Leila

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



= 5 + 3